Publicado por: mirnacavalcanti | 1 de abril de 2009

Day by day … “Who I am…”


“There’s no need of legends… Just see with ” the eyes of the soul…” which connect all the human beings when in the same ‘latitude‘…”

“Não há necessidade de legenda. Vejam com os ‘olhos da alma’ – que nos conectam como seres humanos, quando na mesma ‘latitude’.”

                                                                          

” We all should live day by day , thanking God for each and every day that we are to  do simple things as wakeup, open the eys – and see, talk, walk… things that we usually consider ‘normal‘ , many of our fellowmen aren’t able to do. Nothing should be taken for granted all is a Miracle of Life!”

“Devemos viver tods os dias agradecendo a Deus por cada um deles, nos quais podemos abrir os olhos e ver… falar, caminhar… todas essas coisas que achamos ‘normais‘ – mas que muitos de nossos irmãos não têm ao seu alcance são, na v erdade,  Milagres da Vida!” 



“The Decision: Who I am: uncondicional love, transcendental soul”
 My godmother and great-aunt, Beatriz Josefa Sobreira and I(photo below this one), when I was four years old, in Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil.  She was the person who loved me most in this world and one of ‘my mothers’.   Since I was born, she dedicated her life to make me happy, with an immense, uncondicional love. She raised me … she and my mother Elza raised me  as a creature and child of God. The same love she dedicated me she devoted to my three kids… helping me raising them, with the same love and dedication.  
                                             

Long ago, in my ‘teens’, on a certain day, that I thought would be like all the other days,  after my  daily meditations about life, I felt the time had arrived… and made the decision I consider the most important to me…I thought that if I would succeed in life, I certainly could be able to help my fellow men… Then I decided  to triumph.

I had already found out  that my human condition and way of life, was keeping me from facing  life as I could and should do … I had imposed  certain limitations on myself.  So, to achieve my goal,  this problem should be solved in order to ‘free’ myself from them.

The  high walls that I had built around me should be destroyed. So I did.  It wasn’t easy at all, but I did.

I decided not  to wait for  opportunities, but pick them up wherever they could be found.

I decided that every problem that possibly would arise, should be received by me, only as an unique way to solve it appropriately and grow as a better human being.

I decided to see the deserts as being opportunities to transform them into flowery, fresh oasis.

I decided that every night I should admire the stars twinkling in the deep blue sky… to watch the black clouds with their rich beauty… I felt them like mysteries  that led me to  meditate about the greatness of the Creator…  It’s a paramount to try to feel happy ‘no matter what’… After all,  God Himself  gave to my soul, sensitivity … and these thoughts that make me feel  part of His own Wholeness… in the immense existing universes…

I decided that each dawning of a new day would ALWAYS be a magic opportunity to live and be happy and try to make happy not only those around me, but all the creatures  that I might meet – in  every possible senses… I shoul try to reach their souls through the path of love, with my deeds , with my writings, with my words, with my music.

I decided to stop thinking about being the best in everything I do, but knowing better what and how to do what I should. I realized that I was not the best and that might never be, but I certainly decided that I would be the best that could be.

I no longer cared who would ‘win’  ‘ or who would ‘lose’. What was of utmost importance to me  was  being aware I was doing all my best  – even if through very hard efforts – to succeed in whatever I decided to do.

Moreover, I have learned that it is not that difficult to achieve success. The hardest thing is when, after struggling towards it, it does not occur. So,  should I force myself to try to achieve further excellence of my proceedings, as other people’s lives might  someway depend on me.

I learned that there is no greater triumph than to help others with true humility, solidarity, understanding  and love and never look for recognition or gratitude for our deeds (they might never happen- mankind is usually ungrateful).

I realized I had chosen a career in which I would probably shine  very much, but I preferred to stand with the less fortunate and help them with my knowledge… never letting them know, it was me who was trying-  with all my faith and strength – to  improve their lives in this so little world of ours.

On that memorable day, I stopped being a reflection of someone who had wan some victories… I pursued  the true light of this life and the future ones….

I  soon understood  that it would not be important if only I could see and walk towards  Light.  I should also illuminate the path fort all those I met in my journey. As hard as it was such a ‘contract‘ (and I’ve seen it really is) I should never give up. And so it has been…

It was really “the” decision of my life, as a whole structure and projects had to be changed and  since then have been permeating my days.

I have no regrets. On the contrary, I am thankfull  to our Celestial Father for having enlightened me.

That was the day  I realized: dreams are the raw material of reality. 

Once  they are songs of the stars, and blessed by the Heavens…. Once they are written in golden letters in the pages of the Book of Destiny… then, all my dreams can become  into tangible reality.

 

Since that sunny beautiful  Autumn  day – which I will  never forget. the colors of  Nature were showing  all their splendor to my eyes and nurtured my soul… Since then, year after year , tender, yet strong hope has been always resprouting growing stronger and stronger  on the branches of “Tree of my life.” 

Some fruits have been falling… but new buttons reappear soon after.  All  of them have been growing,  incessantly flowering and certainly have been turning into  the sweetest fruits that I share with love as I follow the path, which h  I have already walked more than half way… 

Mirna Cavalcanti de Albuquerque,                                                                                                      Rio de Janeiro, May 18th, 2012


“A Decisão” : Quem sou: amor incondicional, em alma transcendental”
“The Decision: Who I am: uncondicional love, transcendental soul”

Minha madrinha e tia avó, Beatriz Josefa sobreira e eu, quando estava com quatro anos de idade, na cidade de Porto Alegre, RS. Foi a pessoa que mais me amou neste mundo e uma das ‘minhas mães‘. Viveu para mim, ajudou-me a criar meus filhos e tudo com um amor imenso, incondicional. ‘Doou-se’ a mim e a eles. A ela devo grande parte de quem sou como criatura e Filha de Deus.


 


Há muito tempo, ainda na adolescência, em um certo dia, que me parecia seria como todos os demais, após diuturnas meditação sobre minha vida, decidi que era chegada a hora de tomar a decisão que considero a mais importante para mim, pois se obtivesse sucesso, certamente poderia – e muito – vir a ajudar meus semelhantes: decidi TRIUNFAR.

Havia já constatado que minha humana condição e forma de viver, impediam-me de enfrentar a vida como poderia e deveria fazê-lo. Tinha, até então, imposto a mim mesma certas limitações. Assim, para chegar ao meu objetivo, este problema teria que ser resolvido. As muralhas que havia construído à minha volta deveriam ser destruídas. Assim fiz. Não sem dificuldades, mas fiz.

Decidi não mais aguardar por oportunidadesmas buscá-las onde quer que se encontrassem. Decidi que cada problema que surgisse, seria desde então encarado por mim apenas como uma forma de encontrar para o mesmo a solução adequada.

Decidi ver os desertos como sendo probabilidades de transformá-los sempre em oásis.

Decidi que todas as noites, ao admirar as estrelas cintilarem no profundo azul do céu, ou a observar as negras nuvens que lhe toldavam a beleza, seriam os mistérios que me fariam meditar na grandiosidade do Criador e o quão feliz eu sempre me sentiria por ter sido por Ele capacitada a ter estes pensamentos: encontrar-me no Todo, ser parte desse incomensurável Universo.

Decidi que cada raiar de um novo dia seria SEMPRE oportunidade única para viver e ser feliz, bem como tentar fazer felizes não só os que me rodeiam,  mas a todas as criaturas que, de uma ou outra forma, eu poderia vir a alcançar, seja fisicamente, seja por meus atos, seja por meus escritos.

Decidi deixar de pensar em ser a melhor em tudo que faço, mas saber melhor o que fazer. Reconheci que não era a melhor e que talvez jamais viesse a ser, mas decidi que eu seria a melhor que pudesse ser.

Não mais me importei com quem ’ganhasse’ ou quem viesse a ’perder’. Importava-me – isto sim – em ter consciência de haver-me esforçado ao máximo para obter êxito no quer que fosse que me houvesse predisposto a fazer.

Por outro lado, aprendi que não é difícil obter-se êxito. O mais difícil é quando tal não ocorre. Então eu deveria esforçar-me mais ainda para tentar alcançar a excelência de meus feitos, vez que deles dependeriam talvez vidas de meus semelhantes.

Aprendi que triunfo maior não há do que poder ajudar os demais com humildade e jamais esperar reconhecimento ou gratidão pelo que fizesse.

Compreendi que havia escolhido uma carreira na qual poderia brilhar muito, mas preferi ficar ao lado dos menos afortunados e ajudar-lhes com meu conhecimento, sem que eles jamais viessem a saber que era eu que estava tentando com todas as minhas forças melhorar a forma como viviam.

Naquele inesquecível dia, deixei de ser o reflexo de alguns triunfos que obtivera, para tornar-me a verdadeira luz do presente  a projetar-se sempre no futuro seguinte.

Compreendi – e tão cedo- de que nada serviria tornar-me luz se não pudesse também iluminar o Caminho de todos quantos eu encontrasse em meu caminhar. Por mais difícil que fosse tal ’empreitada’ (e tenho visto que é), jamais deveria desistir.

Foi realmente “a” decisão de minha vida, pois modificou toda uma estrutura e projetos que até então permeavam meus dias. Não me arrependo.  Ao contrário: rendo Graças ao Deus de Todos nós, por haver-me iluminado o pensamento.

Naquele dia percebi que os sonhos são a matéria-prima da realidade. Se eu realmente me esforçasse e se estivesse escrito em meu destino que eu poderia, em sonhando, transformá-los em palpável realidade, tal ocorreria…

A partir daquele dia de outono que jamais poderei esquecer, tenros, mas fortes rebrotos sempre têm nascido na “Árvore de minha Vida“. Mesmo tendo alguns frutos caído, novos botões renascem logo a seguir. Todos  têm crescido, florido e se transformado em dulcíssimos frutos que distribuo com amor enquanto percorro Meu Caminho.

Mirna Cavalcanti de Albuquerque.                                                                                              Rio de Janeiro, 17 de Maio de 2012.

PS – Friends from all the world: Till tomorrow  I’ll post the English version.  

Publicado por: mirnacavalcanti | 3 de setembro de 2013

“ELOS”


                                                                           
SONY DSC
…Ainda não se o vê, mas sua claridade  já ilumina
 a Terra, tingindo-a com belas cores e sonhos reais… 
O próprio céu se mostra mais belo e, ao refletir-se 
nas  águas primordiais, conduz-me à certeza de que 
todos somos elos , entre o fugaz e o eterno…
 
 
 
Mirna Cavalcanti de Albuquerque Pinto da Cunha 
Rio de Janeiro, 03 de Setembro de 2013

 

Publicado por: mirnacavalcanti | 2 de setembro de 2013

A noite e o amanhã


                                                                                                                     amor_divino

A noite chegou de mansinho…

 

Que seres de luz estejam ao nosso lado

com sonhos de paz: dourados!

 

E, ao raiar do dia, tenhamos liberta,

a criança que em cada alma,feliz, habita!

sirin-kiz-bebek-duvar-kagidi

Mirna C.

Publicado por: mirnacavalcanti | 1 de setembro de 2013

Pictures of already gone lives


AnteScritum

When the previous night arrived,  I found myself thinking about how fast time goes by, while looking at these pictures below (*) and the finitude of man – but    not of his works ( if not ‘destroyed’ by his ‘fellowmen‘)…  nor his good deeds… These shall remain as solid foundations of a better future for humanity, with understanding, peace, solidarity…

Theleological thoughts took over me during  a few  hours and I selected  the pictures  I’m posting, once they appealed more to me at that particular moment.  So,  afterwords, I wrote about my previous feelings and thoughts  while  I was attentively looking at every detail  of each of them… I also thought about the photographers who took them… knowing they are not among us anymore, I wondered WHO they were as human beings, their particular and professional lives, their hopes and dreams… 

Mirna Cavalcanti de Albuquerque                                                                                                                                                                                                           Rio de Janeiro, September the 1, 2013

 

 

“The Great Pyramid and the Sphinx (1858,  photo by Francis Frith) .

They were built thousands of years ago… Some  have been there much more than 2.500 years  and  scientists  still did not find out  how they  were built… where did the huge stones that compose them came from, how they  were transported through the desert …   so many secrets uncovered, so many history and stories unveiled…

232-460x3692

 

 

“Luxembourg garden“, circa 1902-1903 (photo: Eugène Atget)

The Luxembourg Gardens were created  in 1612, upon the initiative of Queen Marie de Medici .  They are split into French gardens and English Gardens and, between both, there is a geometric forest and a large pond…  This enormous and almost incredibly garden  ‘resisted’ to the two world wars (1914 -1918, and 1939 – 1945) and still  remain in Paris a place of leisure,  showing  beauty - no matter at what time of the year…

122-460x3722

 

 

“An Oak Tree in Winter”,  circa 1842-1843  (photo: William Henry Fox Talbot)

This oak possibly is in the same ground  it was planted (if greedy men didn’t put it down – as well as the others –  to build skyscrapers…) … This kind of tree can last for a thousand years – or more …  If it is ‘alive’ ,   during  Springs and Summers  its leaves can still cover its  beautifully shaped branches with different shades of deep lively green…

carvalho2

 

 

“Couple at Coney Island“, 1928 (photo: Walker Evans)

This man and woman, embraced in a hot day looking at the sea, probably died a long time ago…  Human life is short… less than a breath… less than a thought... What was their story?  Were they married? If not, did they get married and had children?  Were they happy or not? What  was their intimate  ‘story of life‘? … Where were their bodies buried ?…  We will never know…   Oh, life!…                                                                                                                          

072-382x460

 

 

“The newspaper seller, Alabama ‘,1914 (photo: Lewis W. Hine) 

This little boy, pictured as a  ‘newspaper seller” if alive, would be now around – exceptionally ,  120 years old…  (would  his human nature ‘allow’ him live more?)…  Well, life may surprise … besides, he could had died  even at a young age of a disease, or  later, in a war…                                                                       

152-460x3232

                                                                                                                                     

 

I’m waiting … (Rachel Gurney)“, 1872 (by Julia Margaret Cameron)

 

As for this girl:  if she died when a child, she possibly became the angel the picture shows her playing in 1872… On the other hand, if she lived according to the life expectancy of those times,  she could have gotten married – or not … she  might have had a happy life – or not… Who knows? No one can tell… Anyhow, her soul is in Eternity now… 

anjjo humano

… OR life is only what POE wrote: “A dream within a dream? (*) Or…  was Shakespeare  right and   ” There are more things between heaven and earth than  can understand your vain philosophy?”
“Take this kiss upon the brow!
And, in parting from you now,
Thus much let me avow-
You are not wrong, who deem
That my days have been a dream;
Yet if hope has flown away
In a night, or in a day,
In a vision, or in none,
Is it therefore the less gone?
All that we see or seem
Is but a dream within a dream.
I stand amid the roar
Of a surf-tormented shore,
And I hold within my hand
Grains of the golden sand-
How few! yet how they creep
Through my fingers to the deep,
While I weep- while I weep!
O God! can I not grasp
Them with a tighter clasp?
O God! can I not save
One from the pitiless wave?
Is all that we see or seem
But a dream within a dream?”

(**) Source: A Dream Within A Dream by Edgar Allan Poe, Famous Sad Poems http://www.familyfriendpoems.com/famous/poem/a-dream-within-a-dream-by-edgar-allan-poe#ixzz2deZCjw9J     Family Friend Poems

 

(*) GETTY’s images, Cf http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/feira-livre/a-segunda-etapa-da-viagem-pelo-esplendido-acervo-da-getty-images/

Publicado por: mirnacavalcanti | 1 de setembro de 2013

JESUS e Suas palavras


AnteAcriptum

Hoje, ao ler uma mensagem de minha querida sobrinha Natércia Viana, de Portugal, após escrever-lhe comentário (pois ela havia transcrito palavras de JESUS (Evangelho de João,14, abaixo) sobre a paz,  escrevi comentário e  transformei-o na mensagem que hoje posto.

 

jesus

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.”  João 14:27

 

Uma vez que foram essas as palavras de JESUS, há que acreditar: ELE nos DEU a SUA PAZ! Esta se encontra DENTRO de nós… há que fazê-la EMERGIR para que a sintamos: busquêmo-la verdadeiramente e senti-la-emos… Uns de nós ‘têm-na à superfície’… outros,  dependendo de cada um, devem ‘mergulhar’ mais e mais até chegar ao âmago de seu ser para encontrá-la…

Lembrem-se que, em meio às tempestades da vida, quando o mar se torna revolto, barco algum soçobra quando JESUS está ao leme… As velas podem estar enfunadas pelos ventos de tal forma, que parece lhes rasgará em farrapos o tecido do qual foram feitas… pode até, a uma ou a outra, isto ocorrer… mas a ‘bujarrona’ permanecerá sempre  firme e íntegra ao mastro, levando a embarcação para porto seguro…

fe2

Após isso feito, como bem lembrou minha querida conterrânea Leila da Rolt,  a paz de Cristo , poderá ser vista e sentida na própria Natureza, em TUDO à nossa volta: na Obra do Senhor

Creiam naquela ‘partícula divina’ que faz de nós humanos, seres feitos ‘à imagem e semelhança de Deus’… Creiam em sua capacidade de ‘guerreiros do Senhor’ e, pois, fortes e corajosos – que, se algo abalar suas vidas, saberão como manter-se no ‘equilíbrio- por vezes até mesmo desequilibrado‘,  que somos todos… Todavia: Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mimJoão 14:1.  A respeito, abro um parêntese: quando JESUS disse : “Crede em Deus“, subliminarmente, ao assim ser, Seus Ensinamentos devem ser observados para sermos realmente Seus Filhos e não apenas Suas Criaturas…  

Termino, transcrevendo mais uma das promessas de JESUS CRISTO:                                                                                                                                               “E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.” João 14:13-14

 

 

Que seus corações sejam inundados pela paz…

A cada um que está a ler esta mensagem, deixo meu forte e sincero abraço!

 

Que as palavras todas de JESUS, SUAS promessas ecoem SEMPRE fortes em seus corações e mentes…

 

Com fraternal amor,

 

Mirna Cavalcanti de Albuquerque Pinto da Cunha                                                                                                                                                                           Rio de Janeiro, 1º de Setembro de 2013

 

 

NOTA:  fotos do album (Face Book) de Silvio José Libanori

Publicado por: mirnacavalcanti | 31 de agosto de 2013

O Senhor dos Milagres


Nem mesmo o asfalto bruto pode evitar que as tenras plantinhas brotassem das entranhas da  terra!

Pensei: como teve força a semente, para germinar sem água e sem o Sol?…  Como? Não sei…

Mas,  estou sempre a pensar e,  ao olhar a foto abaixo, não tive como deixar de traçar um paralelo mental: 

na vida, também isso ocorre… e todos os dias, só que,  na maioria das vezes, não estamos com os olhos da alma  abertos o suficiente para

poder realmente vê-los …

Há que estar atentos, olhar bem à volta, tentar perscrutar cada detalhe do que se espraia ante nossos olhos… 

 

E, principalmente, tenhamos a certeza de que onde há fé, TUDO é possível, pois para DEUS, ‘impossíveis não existem’.

Acreditem em milagres, pois eles acontecem! 

 

 

Mirna Cavalcanti de Albuquerque                                                                                                                                                                                                           Rio de Janeiro, 31 de Agosto de 2013

 

vida!2

Publicado por: mirnacavalcanti | 31 de agosto de 2013

A cada segundo… PAZ!


DSCN1443

A cada segundo contemplativo,

mais a presença de Deus

‘se movimenta‘  nas nuvens

que o vento leva…  no mar calmo

que apascenta a alma,

na melancolia que se aquieta,

na tristeza que passa…

 

A esperança se renova!

 

 

 

 

 

Mirna  Cavalcanti de Albuquerque                                                                                                                                                                                                           Rio de Janeiro, 31 de Agosto de 2013 

Publicado por: mirnacavalcanti | 30 de agosto de 2013

Bezerra de Menezes: exemplo a ser seguido


                                                                                                                 bezerra de menezes2

Dr. Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti, exemplo que deveria ser seguido por todos aqueles que tem medicina domo profissão , disse :
“Um médico não tem o direito de terminar uma refeição, nem de escolher hora, nem de perguntar se é longe ou perto, quando um aflito lhe bate à porta; ou que não acode por estar com visitas, por ter trabalhado muito e se achar fatigado; ou por ser alta noite, mau o caminho ou o tempo, por ficar longe ou no morro; ou que, sobretudo, pede um carro a quem não tem com que pagar a receita, ou diz a quem lhe chora à porta que procure outro… Esse não é médico, é negociante de medicina, que trabalha para recolher capital e juros dos gastos da formatura. Esse é um desgraçado que manda para outro o anjo da caridade que lhe veio fazer uma visita e lhe trazia a única espórtula que podia saciar a sede de riqueza do seu espírito, a única que jamais se perderá nos vais e vens da vida.”

 

Não creio em ‘coincidências’ por princípio e, não ‘por acaso’,  ao abrir as mensagens em 29 de Agosto, deparo-me com a que me fez escrever esta crônica.

Em toda e qualquer profissão que se exerça, o esforço para dar o melhor de nós mesmos na prática de nosso ofício, bem como a dedicação se fazem fundamentais.

Sei que temos que tirar nosso sustento do trabalho, mas sei mais ainda – e isto é o mais importante – principalmente quando se lida com vidas: a abnegação há que estar presente.  

No entanto, infelizmente, há médicos que são como os carros – só que seu combustível é o dinheiro, pois este é o que lhes move – não o bem do  ser humano.

Se atingem alguma ‘fama’, tornam-se  esses, seres quase inatingíveis… Alguns ainda, não por méritos próprios (como pode ocorrer – e ocorre – nas demais profissões), mas por ter pais que já lá estão, imaginam-se seres superiores – e agem como se o fossem… geralmente, pouco lhes interessam  seus pacientes. Visam exclusivamente participar de Congressos, entrar em negócios se não ilegais , imorais com laboratórios e farmácias de manipulação (principalmente) e, óbvio, buscam socialmente aparecer…  Não lhes considero médicos, são os infelizes aos quais BEZERRA de MENEZES se refere ao final de sua mensagem.

Por outro lado, graças a Deus, há ainda médicos que, além de capazes e dedicados, são principalmente humanos – esta é  a fundamental qualidade de um médico, aliada, por óbvio, ao saber da medicina.

Tenho conhecido muitos durante a minha vida. Muitos mesmo… Dos que me lembro, não chega a uma vintena médicos assim… De alguns, esqueci-me o nome – mas não seus rostos, que emanavam bondade…

O primeiro, era de Porto Alegre e chamava-se ARY R. de LIMA. Salvou-me a vida por duas vezes enquanto pequena – sem jamais cobrar por seus honorários… Já com meus 14 anos, atendia-me também um otorrinolaringologista que me tratava da mesma forma…  Seres iluminados, dedicados e únicos , cada um à sua maneira…

 Após esses dois verdadeiros médicos e tendo passado os anos,   há, entre meus médicos pessoais, seres maravilhosos. Um deles, por sinal, descende do Dr. Bezerra de Menezes. Também conceituada  mundialmente, mInha dermatologista tem para comigo uma  preocupação e mesmo carinho, que me enternecem… qualidades essas difíceis de encontrar-se  na maioria dos médicos de hoje.

Aqueles – e aos outros que não necessito aqui nomear- não desta feita – sou grata por sua forma de agir e peço ao PAI todos os dias para que sigam com sua missão, sempre abençoados por Deus…

Quanto aos demais – não meus médicos –  penalizo-me… pois, mesmo tendo colado grau, sendo uns ‘mestres’, alguns ‘doutores’ , outros , mesmo PhDs… Como seres humanos, no entanto, estão qualificados consoante escreveu Bezerra de Menezes, Quem sabe um dia venham , realmente, a tornar-se ‘médicos’… se passarem a pensar em fazer o bem:     

bezerra2

Nesta página, há uma biografia resumida do ‘médico dos pobres’ :  http://www.editoraideal.com.br/ler_biografia.php?id=6

Publicado por: mirnacavalcanti | 29 de agosto de 2013

SCHUMANN, sua Arabesque e a alma


                                                                                                                        mirna5

A música tem sido minha companheira desde a mais tenra idade; aliás, já escrevi a respeito, algo que fará parte da minha biografia.             São tantos os afazeres, os objetivos, as buscas a documentos, registros, etc. que, se não me policio, poderia passar as 24 horas do dia isto fazendo. Há a premente urgência (pleonástico mesmo...) de realizar o que me propus e o tempo cada vez é menor…

Voltei há já uns meses, ao que jamais deveria ter deixado: o estudo do piano. Passo a maior parte do dia entre o escrever e o exercitar-me com o objetivo de recuperar a técnica que perdi… Não me importa se terei sucesso ou não – sinto-me feliz em tentar fazê-lo. É um verdadeiro desafio a esta altura da vida …

Ao abrir as partituras, já envelhecidas pelo tempo, passo a lembrar de todos os momentos vividos: desde quando passei a ter aulas com Milton Figueira de Lemos, meu amigo e mestre, até os exames  sempre prestadas frente a três professores de escol e exigentes… Assim,  as mãos gelavam, os nervos à flor da pele…  Ah! E o querido STIEFEL(*) a encorajar-nos… Depois, as apresentações em público, os concursos… Estava, sim a preparar-me para ser pianista.

Tinha um mestre a orientar-me e tocava bem, muito bem  mesmo e buscava mais e mais aprimorar-me.

Lembranças boas, saudade com gosto  de … SAUDADE! …

Há dois dias, coloquei sobre a estante do piano a partitura da Arabesque,  de Schumann – peça esta, aliás – que me levou a obter o 2º lugar em um concurso de piano em Porto Alegre… É belíssima e, à primeira vista, parece  de fácil execução, mas não o é,  pois exige uma interpretação  sublime.  Para  os que não estão familiarizados com a música erudita,  e venham a ter uma idéia sobre o que me refiro, peço-lhes acessem   http://www.youtube.com/watch?v=CHsi-TdUr38.  

É gravação datada de provavelmente 1960 ou  61, em Paris. A magistral interpretação de WILHEM KEMPF, que nos deixou em 1991, suplanta às de todos os demais grandes pianistas, como Horowitz, sobre a qual escrevi o que abaixo transcrevo.

Sem tirar o mérito de Horowitz (entre os melhores de todos os tempos) os que quiserem comparar os dois ‘toques’… O de HOROWITZ com o de KEMPF (no meu sentir, o deste  é tanto mais suave, quanto sua mão esquerda, no segundo movimento, chega a ser marcial, vigorosa, enérgica, enquanto a direita, principalmente no último movimento – e em harmonia com a esquerda – revela um toque de suavidade tal – mesmo nos graves, que a alma parece voltar ao seio do Eterno…

(**) Escrevera:

“ Ouçam-na com a alma, e sentirão a maravilha que pode ser feita – quando há genialidade, com apenas sete notas musicais… ‘GENIALIDADE’ tanto do compositor, quanto do intérprete, pois cabe a este tentar reproduzir o que pretendia o seu autor; difícil e quase impossível isso… pois há que alcançar-se o etéreo com a sensibilidade e a técnica  em harmoniosa sintonia.

Cada intérprete tem sua própria forma de sentir. Tanto assim é que, ouvindo-se a mesma peça musical, encontram-se diversas e diferentes variações, quantos forem seus intérpretes… pois as almas se assemelham, mas não são iguais… e a música é a expressão mais elevada da alma, vez que nos eleva à eternidade. 

Penso mesmo que esta se conecta ao Criador : “ALMA das almas” e, de esferas outras rebrotam, novamente, pelas mãos do intérprete, o som pretendido pelo compositor…

No entanto, cabe ao ouvinte sensível, ‘receber’ essa mensagem da maior de todas as artes, pois prescinde de palavras…”

E mais escrevera adiante:

Esses sons graves, os pianíssimos, os ‘crescendo’ os ‘diminuendo’ … as duas mãos ‘dialogando’… A expressão da alma elevada, pura, ora apaixonada, ora apascentada, calma … ah! A música reaviva sentimentos adormecidos, dá VIDA à vida… ‘forma aos sonhos’ e eleva a esperança aos Céus! E fica-se com os anjos… e Deus!… (***)

Que esses sons lhes façam sonhar como o fazem comigo!

Mirna Cavalcanti de albuquerque                                                                                                                                                                                                           Rio de Janeiro, 29 de Agosto de 2014

(**) https://www.facebook.com/mirna.c.dealbuquerque

(***)  http://www.youtube.com/watch?v=BO-p8YKfSD4

(*) Esse querido homem, alma pura, ser sofrido, foi amigo de TODOS os estudantes de Porto Alegre (RS); merece um capítulo especial, pelo que representou em nossas vidas: ADOLF  STIEFEL

 

NOTA: Para que tenham uma pálida idéia do ser de luz que foi ADOLF STIEFEL, posto comentário feito por VARGASm ex-colega de faculdade, em artigo escrito em 2008, no saudoso BrasilWiki (http://www.brasilwiki.com.br/noticia.php?id_noticia=4136)

“Mirna , tu te lembras do Stiefel – Adolf Stiefel , do Belas Artes ? Lembras como ele era amado por todos os universitários de POA ? Pois é … sabes que quando ele morreu , já velhinho , seu caixão foi carregado por estudantes de várias gerações até o cemitério ?…Tendo perdido toda a família nos campos de concentração , fez de nós todos seus filhos… sua morte foi muito sentida , pois ele era amado por todos . ele soube ‘plantar para colher’ – e o fez só por amor . Esta estória verdadeira que postaste , muito me lembrou do velho Stiefel”…

  

Publicado por: mirnacavalcanti | 18 de agosto de 2013

Anúncio de namoro


                                                                                                                      couples

 AnteScriptum

Costumo publicar o que escrevo. Todavia, quando se trata de assuntos sérios, de interesse geral, eu os posto em um dos meus blogs, dando-lhes os devidos créditos e, antecedendo-os, uma nota introdutória redigida por mim…

Todavia, sendo uma pessoa aberta a proposições, mudo alguns de meus atos. Publico hoje, e-mail que recebi de um amigo que, por sua vez. Recebeu-o de ouro… Se ocorreu ou não (são muitos os hoaxes   postados todos os dias…) , não importa. Situações surreais ocorrem – e esta, pode bem ser uma delas… (*)

Vale a pena sua leitura, pois é inteligente, objetiva e cômica a resposta que recebeu o ‘pretendido’ que publicou o tal anúncio… Eu o posto exatamente como recebi – sem correção qualquer que seja, para manter sua originalidade

(*) Lembram: “Rir é o melhor remédio”!

Mirna Cavalcanti.  

                UM  JORNAL CEARENSE  RECEBEU ESSE  PEDIDO DE PUBLICAÇÃO DE ANÚNCIO      E, ACHANDO-O   ENGRAÇADO, PEDIU AUTORIZAÇÃO PARA COLOCÁ-LO EM LOCAL DE DESTAQUE, SEM   QUALQUER ACRÉSCIMO NO CUSTO. AFINAL, ERA CÔMICO.            NÃO ESPERAVAM RESPOSTA. MAS HOUVE !!!!  E, DA MESMA FORMA QUE O ANÚNCIO        INICIAL,  RECEBEU LOCAL DE DESTAQUE EM SUA PUBLICAÇÃO DE ANÚNCIO PARA ARRUMAR NAMORADA.

Matéria publicada em um jornal de circulação diária do Estado do Ceará (Leia também a resposta da pretendente).
Homem descasado procura…

Homem de 40 anos, que só gosta de mulher, após casamento de sete anos, mal sucedido afetivamente, vem através deste anúncio, procurar mulher que só goste de homem, para compromisso duradouro, desde que esta preencha certos requisitos:
O PRETENDIDO exige que a PRETENDENTE tenha idade entre 28 e 40 anos, não descartando, evidentemente, aquelas de idade abaixo do limite inferior, descartando as acima do limite superior.
Devem ter um grau razoável de escolaridade, para que não digam, na frente de estranhos: ‘menas vezes’, ‘quando eu si casar’, ‘pobrema no úter’, ‘eu já si operei de apênis’, ‘é de grátis’, ‘vamo de a pé’, ‘adoro tar com você’ e outras pérolas gramaticais.
Os olhos podem ter qualquer cor, desde que sejam da mesma e olhem para uma só direção.

Os dentes, além de extremamente brancos, todos os 32, devem permanecer na boca ao deitar e nunca dormirem mergulhados num copo d’água.

Os seios devem ser firmes, do tamanho de um mamão papaia, cujos mamilos olhem sempre para o céu, quando muito para o purgatório, nunca para o inferno. Devem ter consistência tal que não escapem pelos dedos, como massa de pão.

Por motivos óbvios, a boca e os lábios, devem ter consistência macia, não confundir com beiço.
A barriga, se existir, muito pequena e discreta, e não um ponto de referência.

O PRETENDIDO exige que a PRETENDENTE seja sexualmente normal, isto é, tenha orgasmos, se múltiplos melhor, mas mesmo que eventuais, quando acontecerem, que ela gema um pouco ou pisque os olhos, para que ele sinta-se sexualmente interessante.

Independentemente da experiência sexual do PRETENDIDO, este exige que durante o ato sexual a PRETENDENTE não boceje, não ria, não fique vendo as horas no rádio relógio, não durma ou cochile.

O PRETENDIDO exige que a PRETENDENTE não tenha feito nenhuma sessão de análise, o que poderia camuflar, por algum tempo, uma eventual esquizofrenia.

A PRETENDENTE deverá ter um carro que ande, nem que seja uma Brasília, ou que tenha dinheiro para o táxi, uma vez que pela própria idade do PRETENDIDO, ele não tem mais paciência para levar namorada de madrugada para casa.
Enviar cartas com foto recente, de corpo inteiro, frente e costas, da PRETENDENTE, para a redação deste jornal, para o codinome:
‘CACHORRO MORDIDO DE COBRA TEM MEDO ATÉ DE BARBANTE’.
Resposta da Pretendente, publicada dias após, no mesmo periódico Cearense:
“Prezado HOMEM DESCASADO…

Li seu anúncio no jornal e manifesto meu interesse em manter um compromisso duradouro com o senhor, desde que (é claro) o senhor também preencha outros ‘certos’ requisitos que considero básicos!

Vale lembrar que tais exigências se baseiam em conclusões tiradas acerca do comportamento masculino em diversas relações frustradas, que só não deixaram marcas profundas em minha personalidade, porque ‘graças a Deus’, fiz anos de terapia, o que infelizmente contraria uma de suas exigências!

Quanto à idade convém ressaltar que espero que o senhor tenha a maturidade dos 40 anos e o vigor dos 28, e que seu grau de escolaridade supere a cultura que porventura tenha adquirido assistindo aos programas do ‘Show do Milhão’…!

Seus olhos podem ser de qualquer cor desde que vejam algo além de jogos de futebol e revistas de mulher pelada.

E seus dentes devem sorrir mesmo quando lhe for solicitado que lave a louça ou a arrume  a cama.

Quanto à boca, por motivos também óbvios, além de cumprir com eficiência as funções a que se destinam, as bocas no relacionamento de um casal devem servir, inclusive, para pronunciar palavras doces e gentis e não somente: ‘PEGA MAIS UMA CERVEJA AÍ, MULHER!

Não é necessário que seus músculos tenham sido esculpidos pelo halterofilismo, mas que seus braços sejam fortes o suficiente para carregar as compras.

A barriga, que é quase certo que o senhor a tenha, é tolerável, desde que não atrapalhe para abaixar ao pegar as cuecas e meias que jamais deverão ficar no chão.

Quanto ao desempenho sexual espera-se que corresponda ao menos polidamente à ‘performance’ daquilo que o senhor ‘diz que faz’ aos seus amigos! E que durante o ato sexual, não precise levar para a cama livros do tipo: ‘Manual do corpo humano’ ou ‘Mulher, esse ser estranho’!

No que diz respeito ao ítem alimentação, cumpre estar atualizado com a lista dos melhores restaurantes, ser um bom conhecedor de vinhos e toda espécie de iguarias, além de bancar as contas, evidentemente.

Em relação ao carro, tornam-se desnecessários os trajetos durante a madrugada, uma vez que, havendo correspondência nas exigências que por ora faço, pretendo mudar-me de mala e cuia para a sua casa … meu amor!!!
ass: A COBRA .”

Publicado por: mirnacavalcanti | 15 de agosto de 2013

O ‘Canto Chão Gregoriano e a alma cósmica


“Meu coração é inquieto, Senhor, enquanto não repousa em ti “.  (Sto. Agostinho)

                                                                                                                  vitrais2

 

canto gregoriano é uma das mais elevadas expressões da música não 

profana.
Afirmam alguns historiadores, que suas raízes mais antigas, são as
 
orações das sinagogas de antanho, exaltando ao Senhor. Dizem que 
 

suas bases se encontram mesmo no tempo de JESUS. Eram louvores cuja

entoação passava de geração a geração oralmente,pois ainda não havia

notação musical.

Perdurou durante os séculos, passou para a igreja católica, atingiu o

zênite na Idade Medieval com São Gregório Magno e chegou até nossa

época.

 

Guarda intocável,  profunda, sacra, beleza. Enleva a alma daqueles 

que têm a felicidade de ouvi-lo. É, na verdade, uma prece em forma de

canto

 

Som cheio, solene, enche as naves das catedrais e toca as almas 

iluminadas através dos vitrais medievais inspirados na fé pelo 

Supremo Arquiteto do Universo, o Criador …

Reverberam as cores todas do arco-íris em resplandescentes 

matizes de sonhos reais com ímpar beleza… Transcende o tempo 

e atinge o Eterno e chega ao cosmo …

 

Ouvi-los, preces puras que são,  é sonhar de olhos abertos, com planos 

superiores, dimensões despojadas da pesada matéria, onde a alma, 

liberta, flutua entre as esferas celestiais, junto a outras semelhantes,

eternais…

 

Sugiro acessem o site abaixo e ouçam-no com o pensamento e a alma :

  http://www.youtube.com/watch?v=ikHM5-UzqGU

 

 

Post Scriptum: o passar dos séculos lhe foi modificando a escrita. Surgiram os neumas (**), colocados em cima das sílabas, para mostrar a altura em que deveriam ser cantadas (século VIII DC)…Bem mais tarde, para facilitar a entoação dos cantos, esses sinais passaram a ser apenas uma linha… A esta, posteriormente foram acrescidas mais três, perfazendo quatro linhas – e três espaços (tetragrama). Mais tarde, a este tetragrama, foi acrescentada mais uma linha (que conseqüentemente, formou mais um espaço). É este o pentagrama – ou  ‘pauta’ musical.

(*)A título também de informação, o desenvolvimento da notação musical deve-se ao monge católico Guido D’Arezzo, aproximadamente no século X de nossa era.

                                                                

canto gregoriano2

 

Mirna Cavalcanti de Albuquerque Pinto da Cunha                                                                                                                                                                              Rio de Janeiro, 14 de Agosto de 2013 

Older Posts »

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 4.029 outros seguidores