Publicado por: mirnacavalcanti | 21 de junho de 2014

A terra, as sementes e eu


 

 

Imagem

A vida não dá nem empresta;não se comove nem se apieda… tudo quanto ela faz é RETRIBUIR e TRANSFERIR  o que nós lhe oferecemos”  (A. EISNTEIN)

 

 

Hoje, aproveitando o tempo fresco, cuidei das jardineiras. Muito a fazer, no pouco tempo que disponho: preparar a terra: adubá-la, afofá-la, escolher as  melhores sementes…  

O morno Sol outonal iluminava a manhã.   O mar, em seu eterno fluxo-refluxo, beijava a areia como o faz desde o início. A brisa acariciava-me o rosto, enquanto os pássaros cantavam para mim …

Ao trabalhar, pensamentos vinham-me em cascata… Metáforas de várias origens… Geologia, História, Filosofia, Psicologia, Teologia, Sociologia enfim: os conhecimentos todos sedimentados no transcorrer do tempo e que fazem de mim: ‘quem’ sou…  Reflexões se sucediam…  sentia o prazer táctil da textura da vida nas mãos (literalmente tinha a ‘vida‘ nas mãos!)

Pensei com alegria:” estou a começar. Muito há a fazer: hoje é só o início…”

A terra ficou pronta…

Nos dias que se seguirão, terei que semeá-la  e dar-lhes água suficiente, com o carinho e atenção necessários  para que, no ventre da ‘mãe-vida’ elas germinem…  Em poucos dias, os primeiros brotinhos surgirão verde-esmeralda e seguirão a crescer, sempre com o cuidado da semeadora… Devo manter-me atenta para o surgimento das ervas daninhas, das parasitas  e das pragas; estas terei que matar e aquelas, por enraizar rápida e profundamente, proliferam-se em proporção quase geométrica – deverei arrancá-las antes que suas raízes se entrelacem com as das boas sementes – para que da terra não usurpem os nutrientes essenciais às preciosas plantinhas…

……………

Guardando as proporções e metaforicamente considerando, também assim  devemos agir com relação aos nossos semelhantes e não ‘tão semelhantes‘… Somos ‘semeadores‘: cultivemos a amizade dos seres de bem. 

Quanto aos demais (é impossível mudar a essência as pessoas) são comparáveis às ‘ervas daninhas’, joio que seja,  não permitamos sigam ao nosso lado, pois seu objetivo é, de alguma forma, sempre tentar prejudicar o desenvolvimento positivo da nossa plantação..

No entanto oremos por eles, pois vivem na escuridão.

 

Mirna Cavalcanti de Albuquerque

Rio de Janeiro, 21 de Junho de 2014.

 

 
 

 

 
 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: