Publicado por: mirnacavalcanti | 28 de agosto de 2012

Reestruturação Nacional (prólogo)


Sonho ou utopia? Todas as grandes ações da humanidade nasceram de criaturas que não delimitavam seus sonhos.”

 

Precisamos de gente que se aglutine em um só movimento, no qual as armas sejam as palavras escritas com objetivo de elevar o país concretamente frente à nação e ao mundo. Não com mentiras, com promessas que jamais serão cumpridas ou com benesses que levam somente ao ganho de votos em eleições.

Queremos um país no qual a igualdade realmente exista, sem necessidade da criação de inúmeros e desnecessários ministérios e secretarias, pois instituídos  apenas para servir de cabides de empregos  (não de ‘trabalho’) para os apaniguados políticos dos ‘vencedores’ nas eleições.

Queremos um país no qual não haja ‘politiqueiros’  travestidos de ‘políticos; no qual a ‘politicagem’ seja a entressonhada ‘política’; no qual todos os representantes do povo sejam homens de bem, dobem e de saber compatíveis com os cargos que irão ocupar.

Queremos um país no qual inexista ‘filhos gênios de mandatários‘ que enriquecem da noite para o dia; no qual  o preenchimento das vagas para  ministros para os tribunais superiores   seja por meio de prestação de exames e apresentação de títulos,  nos quais  demonstrem seu real e notório ‘saber jurídico’ e não sejam indicados políticos do primeiro mandatário ; devem ser eles livres em suas decisões, sem dependência alguma  referentemente a quem lhes nomeou.

Queremos um país , no qual os governos cumpram a Constituição e determinem, quando necessário, as reformas todas imprescindíveis, a começar pela Política – pois assim não teríamos- na maioria representantes do povo’  que só ‘representam a si mesmos’

Queremos um país no qual os servidores do Senado, estejam realmente a desempenhar seus serviços no país – e não estejam morando no exterior há anos, com salários pagos pelos dinheiros do povo.

Queremos um país  no qual não ocorram casos assemelhados ao narrado mas que, em ocorrendo, respondam tanto a servidora quanto a senadora – não só por essas ilegalidades como reponham os dinheiros que ilegalmente perceberam. Afinal, como desconhecer quem está lotado em seu gabinete? ( E esta servidora, consoante a mídia noticiou, é do tempo do FFHHCC…) Portanto, tem havido ‘desafios imorais’  às leis em todos esses governos. E, quem paga a conta é sempre o povo…(*)

Queremos um país, no qual a Saúde e a Educação sejam consideradas prioridades máximas pelo governo e sejam suas primeiras  responsabilidades, sendo ambas acessíveis a todos os brasileiros; no qual as escolas privadas e os planos de saúde sejam apenas opções para os que forem ricos e não necessidade para os remediados.

Queremos um país com salários justos, equânimes para todos e no qual, em havendo greves, estas não prejudiquem  grandes segmentos da população – justamente aqueles que mais precisam dos serviços públicos.

Queremos um país onde as drogas sejam banidas – o que necessita de empenho forte do poder público para capturar os verdadeiros chefões do tráfico que, certamente, não se encontram nos morros, mas habitam em endereços nobres das cidades.

Queremos um país em que sejam feitas as reformas necessárias ao perfeito funcionamento das Instituições e da Democracia.

Queremos um país em que o Congresso Nacional seja reduzido em 50% dos seus quadros de Senadores e Deputados Federais. Em que o apoio a esses congressistas, também seja reduzido em 60% do seu efetivo, considerando que a maioria não trabalha, apenas recebe.

Queremos um país em que as suas Forças Armadas, sejam respeitadas e aparelhadas para a defesa do nosso território.

Queremos um país com salários justos, equânimes para todos e no qual, em havendo greves, estas não prejudiquem grandes segmentos da população – justamente aqueles que mais precisam dos serviços públicos.

Queremos um país onde as drogas sejam banidas – o que necessita de empenho forte do poder público para capturar os verdadeiros chefões do tráfico que, certamente, não se encontram nos morros, mas habitam emendereços nobres das cidades.
(**)

Queremos um país que cuide não só de todos os seus nacionais,  como de todos os que nele habitem,  sem necessidade de bolsas piedosas, cotas que são preconceituosas, salários díspares.

Queremos um país que, em sendo laico, não prescinda da fé, pois sem ela, qualquer avanço na sociedade humana, só levará ao descaminho ético e pessoal: distorção de Valores, desrespeito aos Princípios. As crianças têm que ser orientadas se não religiosa, filosoficamente, a pensar na existência da Energia Criadora.

Sem exaurir o assunto: queremos um Brasil que respeite fundamentalmente seus idosos – aposentados, pensionistas – ou não, e lhes pague o que lhes deve consoante o contrato firmado entre os mesmos, quando se filiaram ao Regime Geral da Previdência Social – RGPS – ou qualquer outro Regime existente, seja privado – ou mesmo público.

Finalmente: queremos um país no qual o Princípio da Igualdade –  a ISONOMIA – seja realmente respeitada.

 

Não queremos um país no qual, para ter-se  direitos reconhecidos, seja necessário ingressar em juízo para que o sejam. O Estado, na figura de seus mandatários, tem que cumprir com seus deveres e assim, dar bom exemplo aos seus nacionais.

Basta de impunidade! Chega de ‘mensalões’!

Que as luzes do Cruzeiro do Sul, lembre-nos da Cruz de Cristo e seja Ele a guiar-nos para que saibamos pensar, agir e buscar, como simples cidadãos, o que for melhor para o povo – não só no presente, como para as gerações futuras.

 

NOTA: os leitores que estiverem interessados em completar este artigo – que é apenas um mero esboço do país com o qual sonho- por gentileza, comentem,  pois irei anexando seus comentários ao mesmo Não sei quanto tempo levará, pois eu mesma irei acrescentado o que penso ser necessário. Poderá transformar-se em um trabalho que levará a rumos – ou rumo – para o Caminho da Reestruturação Nacional – sob os ângulos todos necessários onde as mudanças se fazem imprescindíveis.

 

Mirna Cavalcanti de Albuquerque Pinto da Cunha                                                   Rio de Janeiro, 28 de Agosto de 2012.

(*)http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2009/06/20/servidora-do-gabinete-da-senadora-serys-mora-nos-eua-197416.asp

(**) Colaboração de Odoaldo Vasconcelos Passos


Responses

  1. Bom, Mirna, parabéns pela iniciativa e pela coragem de sonhar com um país melhor. A realidade é q a evolução q precismos não é apenas ética ou moral. É visceral, técnica, positiva. Precisamos de um governo q volte os olhos p/ o futuro, q pense a longo prazo, q não apenas faça o q eu costumo chamar d “política do tapa buraco”. Não basta mudarmos na superfície; há uma estrutura errada q não permite q as coisas mudem de fato – será por interesse de alguns, q não desejam q a situação se modifique na sua essência?
    O PT tapou buracos? Alguns. Mas a estrutura segue sendo a mesma, extremamente precária. Vemos paliativos governamentais na saúde e no saneamento, na educação, na segurança pública… Mas basta um leve sopro p/ tudo ruir de novo, pq não há base.
    Se quisermos mudanças a partir de 2015, precisamos lançar desde já um candidato capaz de encarar o desafio com seriedade e comprometimento. O meu nome preferencial é Álvaro Dias.

    • Querida LIZIÊ, boa tarde!

      Primeiramente,obrigada pelo comentário.

      Concordo com o conteúdo do mesmo. Como escrevi: o artigo é um esboço que pretendo enriquecer com a ajuda de todos . Aliás: poderá transformar-se em um projeto do que TODOS queremos para o país e a nação. Sei que soa ambicioso, mas não temo. Se unirmos nossos esforços em torno do que o país precisa , poderemos ‘chegar lá’.

      No momento – e desde há muito, o nome do senador ÁLVARO DIAS tem sido o meu também. É o único que vislumbro possa vir a candidatar-se. Temos é que dar-lhe – todos – condições de ser efetivamente eleito.

      Pretendo hj. ainda, transformar teu comentário em um ítem do artigo – com tua permissão – (colocarei teu nome, óbvio).

      Quanto a ‘sonhar’ … que seria da vida sem os sonhos? E, se podemos sonhar o que quisermos – pq. não fazê-lo em dimensões grandes?

      Abçs.,
      Mirna.

    • LIZIÊ, boa noite, querida!

      Peço-te que me faças a gentileza – se puderes – de editares teu comentário na forma do que eu escrevi – seguida pela colaboração do amigo Odoaldo Vasconcelos Passos, feita no blog indicado (*) – que postei em ‘preto’.

      Agradeço-te antecipadamente
      e desejo-te uma noite tranquila.
      Abçs.,
      Mirna.

      (*)http://pt.netlog.com/mirnacavalcanti/blog/blogid=2390455


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: