Publicado por: mirnacavalcanti | 21 de agosto de 2012

Amor inesquecível


“De tudo se pode esquecer, menos do primeiro amor, que não se chegou a viver…”

 

O que foi um dia

– sem  jamais ter sido,

o amor da adolescência

puro , único, insubstituível,

quedou-se adormecido

-em suave letargia

enquanto os anos  pela vida,

como as águas dos  rios, fluiam…

 

Já no outono invernal da existência,

próxima à partida, ainda aberta a chaga,

exposta a ferida: sonho impossível

– utopia…

 de alguém que só nos sonhos

 – e por amor – dos sonhos  vivia…

 

 

 

 

Mirna Cavalcanti de Albuquerque                                                                                                   Rio de Janeiro, 21 de Agosto de 2012 


Responses

  1. Mirna, que bonito! Gostei muito. Inclusive da imagem!

    Beijos

  2. “…puro, único, insubstituível”. Lindo. Maravilhoso. Só quem não viveu um amor de adolescência não consegue sentir o significado disso: o primeiro amor; aquele que cria raiz e não se desfaz. Você conseguiu traduzir todo esse sentimento em tão poucas palavras, porém, sábias.
    Abraços.
    Waldir


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: