Publicado por: mirnacavalcanti | 27 de fevereiro de 2012

Até quando?


Essa charge mostra dois aposentados calmos, tranquilos, sorridentes, descansados a conversarem… Ora, se muitos assim podem se encontrar, certamente não será graças aos valores que percebem como proventos de aposentadoria  (impropriamente chamados de ‘benefícios’), mas à paz interior que, mesmo entre as mazelas que passam, buscam e encontram em suas almas.  Até quando nossos governantes, os políticos que nos representam,  por-se-ão realmente a desempenhar suas funções? Não há mais que esperarmos – a vida passa rapidamente e, mesmo a expectativa de vida aumentando, mais de 3/4 da mesma já se escoou.                             CABE-NOS A TODOS CERRARMOS FILEIRAS PACÍFICAS PARA SERMOS TRATADOS COM DIGNIDADE. 

 

 

Amigos leitores,

 

Recebi hoje, por e-mail um artigo que me fez pensar  – e muito – na situação em que se encontram os aposentados e pensionistas brasileiros filiados ao RGPS E, por interessar a todos os brasileiros, estou a redigir esta pequena, mas densa e importante matéria.

TUDO o prometido até o presente momento – por esses governos todos – até agora NÃO FOI CUMPRIDO. Quando muito, concedem uma ‘benessezinha’ aqui … passados anos, outra ‘benessezinha’ ali… , mas NADA que se possa considerar como JUSTA e DIGNA e MERECIDA – pois conquistada- a maioria das vezes, APÓS 35 anos de trabalho e contribuição: primeiro para os Institutos vários antes existentes, depois, para o INPS e, por final, para o INSS…

Esclareço uma vez mais que não pertenço movimento algum em particular, mas a TODOS os que sejam sérios e comprometidos com a VERDADE FÁTICA. Tampouco sou filiada a sindicato qualquer que seja.                                  Sou e serei sempre livre pensadora à busca do bem e da JUSTIÇA.

São muitas as causas que tenho defendido neste sentido – principalmente as nas quais estão envolvidas as – indevidas – assim chamadas –  ‘minorias’.

Sou parte deste bom, pacífico e sofrido povo que, na sua ingenuidade tem acreditado em promessas de políticos maus que dele se utilizam para chegar ao poder.  Atingida a meta optata (*) , sofrem de profunda amnésia e passam a legislar em causa própria.                                                                                                                                                        À época das reeleições, a memória volta-lhes como em um passe de mágica e voltam eles também a pedir novamente votos e a prometer o que jamais pretendem cumprir.

Já é passada a hora de, como cidadãos, darmos-lhes um sonoro BASTA.

Ao reverso desses politiqueiros, temos todos memórias excelentes, pois temos sentido no transcorrer da vida os males que nos têm causado.

Saúde, Educação, Segurança, onde se encontram? E os nossos parcos proventos de aposentadoria, que na realidade diminuem consoante o tempo passa? E os muitos amigos doentes que além dos padecimentos, têm ainda que sofrer discriminação e preconceito, por estarem a viver alguns anos a mais?

Políticos e membros dos poderes têm salários dignos e bem mais do que dignos.

Os mencionados proventos, no entanto, erradamente batizados de ‘benefícios’ – têm sido ainda achatados pelo rebaixamento ilícito do teto do salário de benefício há mais de 30 anos !

Como se tal não bastasse, os índices usados pelos governos para reajustar os ditos benefícios também têm sido manipulados indevidamente pelos governos.

Passemos a dar ouvidos e apoiar os movimentos todos dirigidos por pessoas dignas que despendem grande parte de seu tempo – gratuitamente – defendendo estes direitos de todos nós, e para todos nós.

(*) Escrevi ‘meta optata‘, pois, em direito penal é o objetivo, o fim  alcançado por quem comete delitos. Metaforicamente é o que ocorre  com o agir da maioria dos nossos políticos, no caso, com respeito aos aposentados e pensionistas.  

Mirna Cavalcanti de Albuquerque.                                                                                                                                                                              

Rio de Janeiro, 27 de Fevereiro de 2012.

 

 

Anúncios

Responses

  1. Dra. Mirna, gostaria de passar um pouco de minha vida, para vc ter uma ideal.Comecei a trabalhar em 1970, que por bem pedia proprietária (minha mãe), para me registrar, assim foi feito (carteira de menor), fiquei na firma dela até 1976, moro no interior, fui para São Paulo estudar e trabalhar, consegui um trabalho no Registro de Imóveis na Capital (IPESP), em 1989 eu fui internardo com Hipertensão Aguda, fiquei 10 dias internado. mais o medico na época falou que eu precisava de horas mais fixos, pois la eu não tinha.Em 1990 minha familia voltou para o interior, eu fiquei até 1992, pois na época os remedios para manter estavel a pressão, era caros. No mesmo ano arrumei um emprego de supervisor de uma industria de pereciveis, fiquei até 1995, fui mandado embora sem justa causa (aumento de salario) que não quizeram dar. Fiquei 3 anos fazendo bicos.Resolvi abrir um negocio proprio, montei uma pequena Padaria, as coisas melhorarm depois de 3 anos na justiça para receber o que tinha direito.Dai até 2008 eu era padeiro,confeteiro, comprador, balconista, enfim fazia tudo sozinho (minha esposa ajudava). Em 2008 começei a não ter mais forças para desenvolver o meu serviço. Procurei um medico, que me encaminhou para um cardiologista, começei a fazer os exames em menos de 1 mes, fui operado coloquei 3 pontes de safena, uma mamaria e 3 segundarias. Ordens medicas padaria nunca mais.Entrei em auxilio doença, até 2010, suspenderam o pagamento pois acharam que estava apto a trabalhar, neste meio tempo, o medico mandou caminhar, fazer pequenos coisas que não fizessem muita força, pois eu reclamava de tontura. Fiquei um ano correndo atras de cardiologista para saber por das tonturas. O ultimo cardiologista encaminhou ao Neurololistasta, que achou que tinha labiritinte, fiz uma tomografia da cabeça, conclusão tenho um tumor e um pequeno aneurisma. Quando trabalhei em SP eu recolhia sobre 17 salarios, como supervisor sobre 10 salarios, no periodo de 1995 a 2002 quando houve anistia fui e recolhi sobre um salario , em 2005 voltei a contribuir sobre 10 salarios. Fui aposentado por invalidez em setembro do ano passado, fazendo a media, hoje recebo 3 o equivalente a 3 salarios. Como explicar isto para minha cabeça? somando tudo tenho 40 anos de recolhimento, Isto é justo? Não desfazendo o trabalhador , mais aqueles que nunca recolheram nada para a Previdencia daqui alguns anos farei parte deste trabalhadores que nunca se preocuparam em recolher. ISTO É BRASIL?????? ISTO É DEMOCRACRIA??????? Tenho um tumor, mais ainda não me dei ao luxo de ser burro. Desculpe alguns erros, mais a revolta é muito grande. Obrigado

    • Osvaldo Luis,

      Nada tenho a desculpar-te. Tua revolta passa a incorporar-se |à minha. Descreveste muito bem as agruras pelas quais tens passado.

      É injusto o que está ocorrendo contigo.

      Quando puderes, se quiseres, poderias enviar-me mais detalhes por e-mail, para que eu te possa indicar o que deves fazer.
      Temos direitos, sim. Há que fazermos com que sejam reconhecidos.
      Se me permitires – e se enviares detalhes, posso também escrever um artigo e chamar atenção, via mídia, das autoridades responsáveis.

      O que não devemos é aceitar calados as iniquidades cometidas por outros – sejam quem eles forem.

      Sempre digo e escrevo nunca ter visto o bem ser vencido pelo mal. É só uma questão de tempo, de luta e, principalmente, de FÉ.

      Peço a Deus que recuperes tua saúde e mantenhas acesa a chama de tua esperança.

      Com um fraternal abraço,
      despeço-me desejando-te uma noite com saúde,. luz e paz.

      Mirna C.

      • Bom dia Dra. são muitos os detalhes que acompanha esta aposentadoria por invalides. A maior de todas fiquei 6 anos com um processo na Justiça Federal, onde o Promotor alegou que o registro na carteira era falso, que tinha falsificado, quiz fazer uma carte com firma recomecida. por desição da juiza não houve necessidade.Entrei com um pedido de aposentadoria por tempo de serviço uma vez, resposta que eu tinha 07 anos 11 meses e 16 dia de contribuição, depois no final do ano entreguei novamente com pedido e me foi comunicado que eu tinha19 anos 04 meses e 1 dia, fiz ua pedição pedido explicações, mais por oirdem judicial contaram os registros da carteira. portanto foi negado. Quando consegui uma certidão de contagem de tempo como A propria certidÃO EXPEDIDA PELO PODER JUDICIARIO DE SÃO PAULO, carimbado pelos orgão do Judiciarios: O Governo do estado de São Paulo, não foi homologada em virtude que o IPESP faliu e aogora era conhecido por São Paulo Prevodência, criado pela Lei complementar n. 154 de 15 de maio de 2008, o órgão gestor unico não tem competência para homologar Certidão de Tempo de Contribução de ex-Cartórariio do Estado de São Paulo. O Poder Judiciario diz Periodo de contribuição compreendido nesta certidão de 06!10!1976 a 26!10!1992 Periodo destinação do tempo de contribuição para aproveitamento n INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL lei 6.226?75 xom as alterações da Lei 6.864/90. Certifico finalmente que a Lei Estadual n. 3.724 de 14/03/1983, em seu artigo$ estende nas mesmas bases e condições aos servetuarios das Serventias não Oficializada da Justição do Estado e aos respectivos servidores os beneficios da Lei Complementar n. 269 de 03/12/1981, que dispõe sobre o cômputo, para efeitos de aposentadoria, do tempo de serviço prestado em atividade vinculada ao Regime Previdenciario Federal, no final deu 17 anos e 1 mes. o INSS NÃO ACEITA CONTAR ESTE TEMPO, por não ter assinatura da Gestors do RPPs. Fui aposentado com outro motivo de invalides. É Justo?

      • Apos muita briga o INSS atualizou a contangem de tempo e deu que tinha contribuido durante 23 anos e alguns meses, somando tudo dá mais de 40 anos trabalhados, obrigado por ouvir tanta reclamação. Obrigado

  2. Nos países sérios do mundo, os que se retiram (para usar uma tradução beeeeeem direta do inglês) são valorizados, respeitados e reconhecidos por tudo que contribuiram para a sociedade por toda sua vida. Aqui em plagas tupiniquins, passam a ser quase a serem pedintes e indigentes. Uma vergonha para todos.

    • E me esqueci de dizer que entre os anos de1980 a 1983 eu tinha dois empregos, um no Cartório das 9 de manha até as 17hs. durante seis meses fiz extra das 19hs as 23hs para depois pegar o turno de 1/2 noite até 6 horas da manha, isto quer dizer que neste periodo eu contribui com mais de 24 salarios. Ninguem me avisou que no fim da vida depois de trabalhar tanto, não teria dinheiro para comprar remedios, pois até a umes atras o SUS dava os remedios. Agora mandam vc ir a farmacia comprar. E nem que quase no fim do jogo, mudava as regras, ia acabar com os aPOSENTADOS. Eles estão fazendo projeção para os aposentados d 2050,só me respodende quantos destes aposentados vão sobreviver até lá? Obrigado e desculpe o desabafo.Osvaldo

    • AJURICABA,
      cacique amigo. Boa Noite!

      Sim, é vergonhosa a forma como são tratados os pensionistas e aposentados neste país.
      No entanto, penso que a maioria do nosso povo tem culpa por sua falta de ação.
      Se não concordam explicitamente, o fazem tacitamente, pois calam-se ou – apenas falam, reclamam, mas não querem se aborrecer.

      Reconheço que agir pode aborrecer, incomodar, etc – mas nada que tenha valor é obtido facilmente.
      Temos o dever de lutar sempre por nossos direitos e mesmo de nossos semelhantes, quando possível. ‘SOLIDARIEDADE’ é a palavra certa.

      Que nossa indignação. Ajuricaba, nos leve às ações necessárias para irmos desenhando novos contornos para a nação e o apís brasileiros.

      Boa noite e que o ‘amanhã’ sorria para nós e os demais.

      Mirna C.

  3. MIrna, tenho exemplos em família, do meu Sogro com 74, meu Pai com 68 e uma Tia com 75 anos que até hoje se vêem obrigados a trabalhar para complementar a aposentadoria miserável o governo federal lhes paga e que não daria nem para uma alimentação digna, que dirá as outras despesas. Vejo isto e percebo que o meu futuro e da minha Esposa não serão muito diferente disto e da maioria das pessoas que eu conheço. Como disse acertadamente o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o Brasil não é um País pobre, é um País injusto.

  4. Meus amigos,
    Eu vivo nos EUA, mas eu recomendo fortemente apoiá-lo em espírito. Aqui na América, estamos enfrentando muitos desafios tais que protegem nossa segurança social e aposentadoria. Rezo para que você vai ser forte e ter sucesso em seus esforços.

    • Steve, Good morning!

      Thank you so much for your support. we all in this little world need to ‘stick together’, because we belong to the same kind of persons who worry about their fellow brothers.

      I am really thrilled that you took your time to translate my article and the same time to send me this so nice note.

      Yes, my american friend. God gives me the needed strength to fight against all iniquity. It has been this way during all my life.

      Again, my sincere and gratedul ‘thank you’.
      May God keep and guard you always.

      Your friend from Brazil,

      Mirna Cavalcanti de Albuquerque.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: