Publicado por: mirnacavalcanti | 4 de agosto de 2011

Sobre “Regras e Respeito”


 
Versa sobre a responsabilidade de todos nós como seres sociais e políticos. NENHUM HOMEM É UMA ILHA: é sabido. Temos pois, o dever de unirmo-nos em arquipélagos e interconectá-los com pontes de entendimento,
solidariedade e amor para o bem de todos em geral – e não de minorias– sejam quais forem- privilegiadas.

Feliz é a criatura que pode caminhar de cabeça erguida, na certeza de que faz o bem para seus semelhantes e advoga suas causas contra os iníquos
Feliz é a criatura que pode caminhar de cabeça erguida, na certeza de que faz o bem para seus semelhantes e advoga suas causas contra os iníquos.

 

Os motivos desta última edição (até agora)…
 
 
Amigos leitores,
como todos os que escrevem, após ler e reler meus trabalhos, encontro falhas diversas, e não permito que permaneçam. Daí a imperiosa necessidade desta outra edição, já novamente corrigida (até onde pude constatar- por ora).
 
Desculpem-me pelo transtorno.
Que Deus dê a cada um de vcs uma semana com muita saúde, paz e realizações positivas!
Mirna Cavalcanti.
Rio de Janeiro, 07/08/2011
 
SINOPSE
Versa  este artigo sobre a responsabilidade de todos nós como seres sociais e políticos. NENHUM HOMEM É UMA ILHA: é sabido. Temos pois, o dever de unirmo-nos em arquipélagos e interconectá-los com pontes de entendimento, solidariedade e amor para o bem de todos em geral – e não de minorias– sejam quais forem- privilegiadas.
Feliz é a criatura que pode caminhar de cabeça erguida, na certeza de que faz o bem para seus semelhantes e advoga suas causas contra os iníquos
“Feliz é a criatura que pode caminhar de cabeça erguida, na certeza de que faz o bem para seus semelhantes e advoga suas causas contra os iníquos”. Mirna C
 
Amigos leitores,

Escrevi REGRAS E RESPEITO (*) e para alegria minha, aquele simples microconto está a render diversos comentários procedentes e importantes. Um deles foi questionamento sério, que me fez pensar, pois seu autor revela certezas e dúvidas que só pessoas  responsáveis e preocupadas com o destino da humanidade têm:

Escreveu ele:

SERÁ QUE AINDA EXISTEM REGRAS QUE DEVAM SER RESPEITADAS NESTE PAÍS? E QUEM AS ELABORARAM, SERÁ QUE TAMBÉM EXISTE?

LUTAR, ACREDITO SEJA O VERBO DA VIDA, POIS PASSAMOS TODO O SEU ESPAÇO DE TEMPO LUTANDO, MESMO QUE POR DIREITOS PEQUENOS. PERGUNTO-ME,  DIVERSAS VEZES: SERÁ QUE VALE A PENA LUTAR AINDA?” 

Pois bem: ao ir respondendo os comentários dos demais leitores, pensei na relevância do assunto e achei por bem escrever este artigo. Certo é que temos todos que sair da pasmaceira na qual parece estar a Nação entenda-se: POVO  a mergulhar mais e mais – no que está a assemelhar-se ao vórtice  de um ‘buraco negro’.

Óbvio que não me considero DONA DA VERDADE (tanto assim é que estou aberta a comentários preciosos para o diálogo educado e que acrescente ao texto).

Respeito opiniões divergentes das minhas , mesmo quepossa não aceitá-las- mas isto é uma outra história, como diria KIPLING. Só me sinto bem escrevendo o que penso –e é o que estou a fazer. 

Se VALE OU NÃO A PENA, é  bastante  individual, de foro íntimo.

O certo é que não me sentiria em condições de seguir vivendo se não me postasse contra determinações que considero erradas. Isso expande-se inclusive às ’Leis  LEGAIS’ ( desculpo-me pela expressão pleonástica ). Entretanto, sabe-se e bem: muitas leis são injustas e essas tenho combatido durante toda a vida.

Tenho opiniões firmes, pois bem alicerçadas na razão,em provas e, acima e além, no elevado senso de JUSTIÇA pelo qual tento pautar meus agires. Pelo exposto e tendo em vista que a maioria dos humanos é eivada de despiciendos mau caráter e egoismo, uma pessoa como eu, aos que pertencem a essa classe de seres, desagrada – e muito.
Isso é, para mim, de somenos importância (ou melhor: não tem importância alguma).                                    Não nego que algumas vezes, minha forma de ser: objetiva, franca e até incisiva, têm-me trazido aborrecimentos e mesmo uma ou outra perda material – jamais espiritual – ao contrário: durante cada embate, sinto-me crescer como criatura, tornando-me mais e mais digna filha de Deus. Concluo, pois: esses contrapontos  desafinados e de ritmos alternados, são verdadeiros buris: alguns dos instrumentos  que Deus me coloca no Caminho para que eu desenvolva como ser. Tenho a felicidade de isso reconhecer e agradeço-LHE.

Essas refregas são devidas a fatos contrários à vontade, necessidade ou/e interesses pessoais mesquinhos de alguns poucos – descontentes e aborrecidos, frustrados nos seus intentos sempre egoístas e maléficos, por vezes até mesmo criminosos- de enganar seus semelhantes.

Sabedora de suas ações ou mesmo de suas faltas-  quando deveriam agir- como da elaboração de pseudos documentos – aos quais tentam inutilmente – com a conivência de pessoas que a eles se ombreiam- se eu, Mirna, me mantivesse calada, seria também  conivente e mais abjeta ainda que aqueles.

Como não poderia sê-loquestiono fatos, requeiro-quando o caso- documentos, envio comunicações também as suas pobres VÍTIMAS  (sempre de forma clara, objetiva, apondo meu nome ao final) e tomo todas as atitudes que penso e sei serem as corretas , com o simples fito de restaurar a verdade, mostrar o que realmente acontece – está acontecendo, aconteceu ou poderá vir a acontecer, por culpa(*) dessas mesmas pessoas.

Como não poderia deixar de ser, os que estão a encabeçar os despautérios (classifiquemos desta forma  suave suas ações ou omissões), voltam-se contra mim. Ora, em casos que tais é normal tal ocorrer, pois estão a descoberto – são verdadeiros Reis Nús.  Não têm como  justificar ‘documentos’ , nem as falácias ditas e escritas, muito menos argumentos com os quais tentam inutilmente ludibriar os demais. Suas máscaras de bons moços derretem-se facilmente.

É de lastimar-se, por óbvio, pois são grupos formados por pessoas de almas e mentes pequenas – e ainda desonestas, do tipo que segue a LEI DO GÉRSON: Levar vantagem em tudo. Ora, se esses se dão bem, os demais, mesmo sem o saberem, estão perdendo. Esses, pela idade já avançada, por saúde, por temperamento, por acharem que não vale a pena incomodarem-se…  deixam passar, o que confere mais e mais ousadia (para ser delicada) aos atos dos desonestos e sempre irresponsáveis, que tentam alçar vôos cada sempre mais elevados, ousados e de forma sobremaneira abusiva, fundamentando-se inutilmente na impunidade reinante no país, que tem efeito cascata sobre a sociedade.

Felizmente não me posso afinar– muito menos estar em harmonia com criaturas desse tipo, devido aos Princípios, Valores e educação com que fui criada; ínsitos em meu caráter, fazem parte de meu ser.

Diversas foram as contendas que têm emergido no transcorrer de minha existência. E justamente por não ser do tipo: DEIXA PRÁ LÁ… NÃO VAI DAR EM COISA ALGUMA MESMO, OS PODEROSOS SEMPRE VENCEM…PRÁ QUÊ  ENTÃO TE ABORRECERES?… LARGA DE MÃO… ELES QUE SÃO IRMÃOS QUE SE ENTENDAM… QUE SE MATEM,etc.

Amigos: não me lembro de TER DEIXADO COISA ALGUMA ‘PRÁ LÁ’…

Se há algo errado, se há pessoas enganando deslavadamente a quem quer que seja (inclusive e principalmente os que, inocentemente neles confiam) e disso eu venha a ter conhecimento, tomo a atitude que qualquer pessoa de caráter íntegro tem o dever de tomar.
E isso é reiteradamente comprovado em todas as minhas teses, trabalhos artigos e manifestações: quer sejam assuntos privados ou públicos, de interesse pessoal ou da coletividade (como é o lamentável caso de nossos aposentados e pensionistas).
 
A verdade acaba emergindo e os transgressores– dependendo do alcance de seus feitos- pagarão duas vezes: aqui na Terra e após desencarnarem. É a indefectível Lei do Retorno – e dela ninguém escapa.

Há que lembrarmo-nos: CRIMINOSO não é só o que tira a vida de alguém, mas  criminoso também é considerado o que comete os atos todos tipificados nos códigos existentes, como tal.

Por outro lado, fatos os mais comezinhos do dia a dia, não sendo CRIMES, podem, outrossim  ser contra os direitos dos cidadãos.

Menciono apenas um exemplo: filas quaisquer que sejam (bancos, supermercados, conduções).                              Registro que não passo à frente de ninguém- muito menos permito que passem à minha (a não ser quando se trate de pessoa doente, mais velha ou com qualquer outro problema ou necessidade…) Reclamo com educação, voz delicada, sutil mesmo: ” Minha senhora (ou meu senhor): enganou-se. A fila se inicia desse (ou daquele) lado…”

Vezes há, inclusive, que chego até a divertir-me abrindo o verbo (geralmente nas filas de bancos, quando falo na existência de lei punitiva para o estabelecimento que deixe o cliente mais do que um certo período de tempo nas ditas filas)…

Interessante é notar-se que à minha voz passam a juntar-se outras mais, em coro – e logo, logo, aparece um funcionário do banco e tudo passa a funcionar como deve.

Lembro que nas ações nossas de todos os dias está assentado quem somos e o quais nossos objetivos.

Cabe indagar: QUAL SERÁ NOSSO LEGADO À POSTERIDADE?

SE NADA FIZERMOS, COMO NOS OLHARMOS NO ESPELHO SEM SENTIRMOS UM FORTE GRAU DE CULPA – ATÉ REMORSO?

– SERIA IRRESPONSABILIDADE.  Quando a consciência acordasse, provavelmente sentiríamos o vazio de uma VIDA EM VÃO, expletiva; de um existir, apenas – e de consistência nada positiva – raiando ou atingindo a própria perniciosidade.

Escreveu Antônio Gonçalves Dias:

A VIDA É LUTA RENHIDA,QUE AOS FRACOS ABATE E AOS FORTES SÓ FAZ EXALTAR.

Indico-lhes a leitura da “Canção do Tamoio na íntegra”, amigos leitores, pois o canto daquele grande  poeta indigenista é atemporal e um chamamento indiscutível para  tudo o que nos torna humanos, dignos e verdadeiros guerreiros do bem e da Luz.

A certeza de estarmos a fazer o NOSSO possível- mesmo que este POSSIVEL não venha a ser o suficiente para que atinjamos o objetivo colimado- dá à alma paz de espírito  e à razão, a prova de estarmos a  LUTAR  O BOM COMBATE. Revela que nossa vida é útil, digna e plena em realizações positivas.

Mirna Cavalcanti de Albuquerque Pinto da Cunha

Rio de Janeiro, 05 de Agosto de 2011

 

(*) http://www.talentos.wiki.br/postmc.php?id=75058

(**) entenda-de:  “negligência, imprudência, imperícia” (consoante determina nossa Legislação Penal Substantiva)

NOTA:                                                                                                                                                                                                                                      Aconselho também a leitura deste MC – COMO PRINCIPALMENTE OS  respectivos  COMENTÁRIOS.

A interação com os leitores é fabulosa e revela o quanto de GENTE BOA e PENSANTE temos em nosso país.
Já há exposições excelentes – inclusive de leitores estrangeiros. .Respondi a  algumas e a todas irei respondendo, pois além de ser meu dever fazê-lo, é um prazer ter ciência de que estou a fazer a diferença positiva e minhas palavras têm encontrado eco. Há solo fértil.
Comentem, sim, amigos! Estaremos ‘construindo pontes’ que interligam as ‘ilhas de nossos arquipélagos’!
Ah! Mesmo este titulo estando já em diversos sites, o deste blog é o que no momento se encontra atualizado, pois meu tempo tem sido pouco para tantos afazeres). Cfme. houver tempo hábil, irei atualizando os demais. Mirna C
 
Anúncios

Responses

  1. Regras existem para ser cumpridas e discutidas, caso precisem de correção. Mas, enquanto presentes, são determinantes. Proibido fumar,não pise na grama e coisas assim; têm tanto valor quanto Não Matarás, Não Roubarás e não dilapidarás o patrimônio público. Pena que alguns queriam as regras apenas a seu favor.

    • Boa tarde, sábio cacique dos Manaós!

      Estou a escrever-te tardiamente. Desculpa esta tua irmã do sul. O motivo foi o que escrevi para o WEVEROTN.

      Sei que tens o coração grande o suficiente para compreender e desculpar-me.

      não só concordo plenamente com tudo o que escreveste, como faço o coro necessário para que todos ouçam e leiam.

      Esse número de pessoas aos quais te referiste , é encontrado em toda a sociedade e esferas – sejam públicas ou particulares deste nosso amado país. Deveriam todos ser condenados a trabalhos forçados (para tanto, ter-se-ia que modificar a Constituição – mas seria o mais fácil). No entanto, criaríamos grave problema: não haveria número suficiente de prisões; são muitos os fora-da-lei…

      Sabes? Eu ainda sonho com uma sociedade ideal – na qual o bem esteja acima do mal e o desterre para sempre.

      Podemos e devemos sonhar – e agir, AJURICABA. O que seria da vida não fora o sustentáculo dos sonhos, a tingir-lhe com as suaves cores da esperança?

      Um grande abraço desta tua amiga,

      Mirna C.

  2. A cultura do brasileiro sobre regras é a cultura da não regra, cultura essa enraizada e vem desde os tempos do Brasil Império, quando D.João e sua corte vieram para o Brasil trazendo todo o tipo de corrupção. O brasileiro se acostumou a ver leis que não “pegam”, leis feitas apenas para punir os “pobres, pretos, putas”. Mudar isso é muito difícil mas não impossível, requer muita conscientização, informação, educação.

    • AUGUSTO, boa tarde!

      Desculpo-me por não ter-te breve respondido. O motivo foi o que escrevi para nosso amigo WEVEROTN.

      Respeito tua opinião mesmo não concordando com parte do que escreveste sobre nossa cultura (ou falta da mesma). Aliás: agradeço-te, pois deste-me idéia para escrever artigo a respeito, pois será bastante interessante. Poderei fazê-lo até mesmo um livro.

      Quanto às chamadas ‘minorias’ que mencionaste, Augusto, entre essas há gente muito mais decente do que certos membros da nossa ‘podre sociedade’ que se fazem passar por honestos, quando não passam de refinados biltres.
      Penso que concordarás comigo: A cor, a condição social não torna ninguém nem melhor nem pior do que ninguém.
      Quanto às prostitutas, a maioria chegou onde está, quase sempre por amor a um homem sem princípios e muitas são muitíssimo mais dignas do que grande parte das ‘senhoras’ de nossa sociedade. Algumas são mães devotadas. Tenho-lhes grande respeito.
      Amigo AUGUSTO: trato a todos com a dignidade que merecem, sem preconceito qualquer que seja – e defendo seus direitos como cidadãos de um país ainda livre.

      Sou a favor – e luto por todos os direitos que são inalienáveis a todos. Aos iníquos, nem mesmo desprezo, pois seria desperdício de energia. Combato seus atos, dentro do meu raio de ação: escrevo para a mídia em geral, redijo pareceres para modificar as leis injustas, entro mesmo com as ações cabíveis, quando necessário. Assim devemos fazer todos, pois isso diminuiría – e muito, o número de pessoas que agem contra a lei, pensando não serão jamais por suas determinações alcançadas.

      Mais uma vez, obrigada pela idéia e o comentário.
      Saúde e paz!
      Mirna C.

  3. muito bom,se todos lutassem pelos seus direitos o mundo seria bem melhor.!

    • WEVEROTN, BUENAS!!!

      Primeiramente, desculpa-me por só hoje responder-te. Não é falta de consideração, pois meus leitores considero-os amigos, por estarmos afinados pelo mesmo diapasão.
      Ocorre que tenho sempre muito o que escrever e o ‘senhor TEMPO’ passa depressa por demais.

      Hoje estive à procura de alguns de meus textos para serem compilados em livro a ser breve publicado e verifiquei estar em falta com alguns de vocês.

      Agradeço-te o comentário, desculpo-me mais uma vez e SIGAMOS EM FRENTE, AMIGO!

      Luz e paz para ti! ‘Volta sempre que serás sempre bem vindo!

      Fraternal abraço,

      Mirna C.

  4. Coragem sempre. Gosto de Gente como Voce. Conte comigo. Grande abraço.

    • Amigo Augusto,

      Somos como somos (acaciano, não? Porém verdadeiro). Grata pelo comentário e pela ‘oferta’ . Claro que quero ‘contar contigo’. Quantas mais forem as pessoas de bem e do bem a harmônicamente trabalharmos, melhor e mais r´[apido poderá ser o resultado. ALGO TEM QUE SER FEITO EM BENEFÍCIO DAQUELES CUJA VOZ NÃO È OUVIDA. Tranquilidade, organização e paz, serão necessários – assim como paciência, pois será ação a ser encentada por nós, em bases firmes – todavia, é certo que não a veremos concluída. Iniciá-la já é um grande paço.
      Meus sinceros agradecimentos.
      Mirna Cavalcanti.

  5. Querida amiga,
    No meu livro escrevi um texto: “Fazendo a sua parte”. Está claro na sua matéria, que tens feito de uma forma obstinada a sua parte. Isso, a meu ver, é o que importa. Agindo assim teremos sempre a sensação gostosa da missão cumprida. No entanto, temos de entender a liberdade de decisão dos outros, mesmo que não sejam do nosso agrado. Temos de entender que fomos privilegiados com a “educação de berço”, hoje quase em extinção. Os pais estão de forma equivocada delegando às escolas a missão de educar os filhos, o que é um erro irreparável, e de consequências terríveis não só para a criança e/ou adolescente, mas para a sociedade. Não é por acaso que é comum nos dias de hoje, jovens de classes sociais ditas privilegiadas cometerem os mais variados tipos de crimes e delitos. Portanto amiga siga a sua missão, que escolheu e toque a vida para frente. Forte abraço!
    Utilize os “espinhos da vida” para proteger as “rosas”! (Mazzini Caon)

    • Mestre e amigo Mazzini Caon,

      Boa tarde!

      Por onde andas? Não te tenho ‘visto’ – também eu andei meu ‘desaparecida’ do nosso ‘ponto de encontro’, por motivos vários.

      Estás bem?

      Hoje ‘aproveitei’ para tentar responder a todos esses comentários gentis e preciosos dos meus queridos leitores.

      Sim, amigo – tenho tentado ‘fazer minha parte’. Uso o que aprendi para acrescentar o que posso de bom e positivo à sociedade humana. Não é ‘caminho fácil’ , mas dele, só Deus poderá afastar-me. E isso, Nosso Pai não o fará, vez que me tem fornecido tudo o que preciso para a minha dura e constante labuta.

      De que valeria a preciosa vida se não tentássemos fazer as modificações necessárias nesta Terra, ,na qual imperam sobranceiras, vilanias de toda a sorte?

      Obrigada, amigo – sigamos em frente, pois nunca ouvi – ou soube de que o mal tenha forças para vencer o bem.

      Com Deus e pela Humanidade!

      Fraternal abraço,

      Mirna C.

  6. O que me apavora é que cada vez mais as pessoas em nosso país parecem estar dispostas a violar regras. Ñ sei se é a falta de consciência das pessoas ou a certeza da impunidade. Temos leis de demais e um sistema judiciário cada menos ágil e operante. Olhem só para o trânsito em qualquer cidade, grande ou de porte médio, os atos das pessoas nas ruas apenas deixa transparecer o seu modo vivendis. Abrçs! (descarte o comentário anterior)

  7. Amigos!

    Boa noite! Entre amanhã e depois pretendo responder seus comentários. Agradeço-lhes a gentileza de tê-los expendido.

    Uma noite tranqüila. Muita paz. Muita Luz!

  8. Amiga, o mínimo necessário para a convivência harmoniosa em uma sociedade é a existência de regras e a obediência às mesmas.
    Tudo o que determina o contrário tem propósitos no mínimo suspeitos, coisa boa não deve ser, por este motivo não abro mão de lutar pelo que acredito, contra o que provoca conflito e sofrimento, mesmo que leve bordoada, isso é o de menos.
    Vá em frente, você está certa e agradeço a oportunidade de conhecer pessoas como você.

  9. Peço aos amigos que lerem, façam a gentileza de escrever seus comentários, para que possamos interagir. Grata,
    Mirna C.

  10. Querida amiga Dra. Mirna sempre atento ao seu clamor em prol dos oprimidos. Representa a justiça social, o amor, a compreensão, o carinho e demais virtudes inerentes ás pessoas educadas e de boa vontade.
    Jamais deixei de ler os seus poemas que retratam sempre a vida real!
    Estaremos sempre apoiando e divulgando tudo o que escreve!
    Muito obrigado por sermos Amigos por escolha!
    Um grande abraço e bom fim de semana!
    Magalhães.

    • Querido amigo ANTONIO da SILVA MAGALHÃES,

      boa tarde!

      Sim, somos amigos ‘por escolha’. Trocamos idéias, escrevemos, trabalhamos em benefício de nossos semelhantes, nos sentímos úteis e damos às nossas vidas o verdadeiro significado da DIGNIDADE.

      A internet – quando bem usada (nosso caso e o de nossos amigos) é um meio hábil e rápido de difundirmos o bem e esparzirmos o amor e as virtudes todas que nos qualificam realmente como ‘humanos’.

      Agradeço a Deus todos os dias por ter amigos da tua altura. Faz-me imensamente feliz saber que ‘semeio em terra fértil’ e tenho como leitor um ser humano da tua envergadura moral.

      Aproveito para agradecer publicamente todo o apoio com que tens sempre me brindado. A divulgação do que escrevo é importante, vez que escrevo a verdade sobre o que ocorre em nosso mundo – seja bom ou não. Temos a obrigação de alertar os que não podem ver tão claramente como nós: somos irmãos nesta jornada.

      Mais uma vez, meu sincero e profundo agradecimento por seres meu amigo, Antonio.

      Muita saúde, luz e paz para ti e todos os teus.

      Carinhoso abraço,
      Mirna C.

  11. Mirna, sou uma pessoa, acho, meio irreverente e irriqueita e não muito afeita a seguir regras pois penso que regras são normas feitas para quem não tem discernimento, competência ou respeito ao que é certo e errado.

    Regras são parametros limitadores, criados normalmente por imbecis que se colocam nos pedestais e pisoteiam nos direitos e espaços alheios, mas não aceitam críticas e, ou, reclamações e, para tal, protegem-se com regrinhas tipo; respeite seu superior ou, você sabe com quem está falando?

    Fossem todas as pessoas bem educadas, nem estou falando de diplomas, mas de educação no convívio social não necessitaríamos de tantas regras e leis, dizendo o que podemos ou não podemos, devemos ou não devemos fazer. Mas… já que isso não é possível, que se criem leis e regras pra tudo; até para defenir a hora que poderemos ou não ir ao banheiro.

    Criar regras e leis inoportunas é a forma que uma parte da sociedade, sistemas e governos totalitaristas encontram para conter a indignação dos que divergem deles.

    • Caríssimo amigo APARECIDO

      BUENAS!

      Todo o tempo que temos ‘convivido’ tem sido o suficiente para revelares quem és. Entre outros, somos quem agimos e o que escrevemos. “Irreverência” – no que tange à tua pessoa- é sinal de inteligência ativa, contestadora, irriquieta, à qual incomoda por demais o que está errado à volta.
      Assim, concordo com tudo o que escreveste, menos com uma de tuas afirmações, pois é contra nossa natureza: criar leis para termos horário determinado para irmos ao banheiro… não iria dar certo… 🙂

      Teu último parágrafo revela estares atento ao que pretendem governos que tem como objeto afastar a democracia e instaurar regimes totalitários. Temos muitos exemplos na América Latina e, temos que estar atentos, para que não ocorra em nosso país.

      A Liberdade – após a DIGNIDADE – é o bem mais precioso do ser humano. E, mesmo não sendo a democracia que temos, a ideal – ainda prefere-se a ela a outro qualquer regime. Assim, temos o dever de defendê-la da forma pacífica, como o fazemos: usando as ‘armas das palavras’.

      A IMPRENSA LIVRE é uma conquista que deve ser preservada.

      Obrigada, meu amigo, por teu lúcido e inteligente comentário.

      Que Deus te proteja e guie.
      Fraternalmente,

      Mirna C.

  12. Mirna, você é um tesouro: Feliz é a criatura que pode caminhar de cabeça erguida, na certeza de que faz o bem para seus semelhantes e advoga suas causas contra os iníquos.

    • MARCOS MATIAS,
      boa tarde!

      Agradeço-te a gentileza, mas sou apenas ‘humana’. Faço o possível para crescer verticalmente dentro dos Ensinamentos.

      Sim, caminho de cabeça erguida – não por orgulho (seria ignorância), mas por dignidade (que é a obrigação de todo o ser DO e DE bem).

      Posso mesmo dizer que não há nesta Terra um só vivente que me possa fazer baixar a cerviz. Combato o bem combate. Luto pelo Direito Justo. Defendo os direitos dos que têm voz mas não são ouvidos.
      Agindo assim, MARCOS, tenho a consciência tranquila de estar dando sempre o melhor de mim. Nada de melhor existe do que poder colocar à noite, a cabeça sobre o travesseiro e pensar: “hoje foi um dia difícil, mas fui o melhor que posso ser. Amanhã, serei ainda melhor e assim, sucessivamente… Não transgredi nem as leis dos homens, muito menos as de Deus. Tenho paz em minha alma”…

      Sei, amigo, que escolhi a carreira certa e que com ela, sou útil aos meus semelhantes. Sei, que, quando chegar a hora de partir, poderei dizer :”Minha vida não foi em vão”.

      Grande abraço,

      Mirna C.

  13. Todos deveriam andar na retidão, pena que alguns querem aproveitar-se até da situação de caráter e fé das pessoas para vantagens pessoais. Importante é que façamos nossa parte e, na medida das oportunidades poder dar bons exemplos e ajuda que se puder.

    • Silvio Lopes Cabanas,
      boa tarde!

      Ah, amigo! Se todos andassem na retidão, estaríamos no paraíso e a Terra dizem ser o ‘planeta da expiação’. Pelo que vemos, é, realmente: guerras, detrações, iniquidades várias, pessoas que de humanas só possuem a forma… é tristeza demais para poder-se tolerar sem sentir-se indignação na alma.

      Cabe-nos, no entanto, tentar ‘neutralizar’ o mal perpetrado por essas desumanas pessoas. Sei ser tarefa para santos – que não somos – ou para deuses – que tampouco somos . Mas, mesmo sendo ‘pequenos’, temos grande e antigas almas – e estas, seguindo o caminho iluminado pelo ‘Mestre dos Mestres’, certamente está a guiar nossas vidas em direção sempre do BEM, do BELO e do JUSTO.

      Mantenhamo-nos unidos, aglutinados e formaremos uma força impossível de ser vencida.
      Interessante é notar-se que os bons buscam os bons e, na bondade se tornam fortes. Assim somos nós, amigo SILVIO.

      Que Deus nos guie, proteja e ilumine os passos durante todos os dias de nossas vidas!

      Fraternal abraço,

      Mirna C.

  14. Una persona libre es digna,sin leyes que lo obliguen.Antes que toda ley está el respeto por los semejantes.Los demás son reglas de juego y las leyes suelen traer intereses políticos,religiosos y económicos de personas con mucho poder ,pero poco aprecio por las personas y sus diferencias

  15. Laws and rules set forth by those we send to office should be to benefit the majority, not the few. Sadly today this does often seem to be the case. In this I hope the more we speak of these wrongs the more these wrongs will be corrected some day.

    • Dear friend GEORGE PRICE,

      How sage are your words.
      I thank God for being your friend during all these so many years…

      Our thoughts about this subject are the same. We must keep on talking and writing about what is wrong in this little world of ours. This is the way to try to achieve our goal.

      May God help us in our path.

      Your brazilian friend,

      In respectful tenderness,
      Mirna C.

  16. As regras se baseiam em valores…Sim, devemos seguir o que nos fala a consciência..

    beijocas

    • Querida Carla,

      boa tarde!

      “A VOZ da CONSCIÊNCIA”… Penso – pelo que observo – que há muitas criaturas que parecem não a possuir, pois seu viver é por caminhos tortuosos que se encontram na completa escuridão – e nem mesmo disso se dão conta.
      Deve ser mesmo triste seu caminhar.
      Mantenhamos viva a chama que nos ilumina a vida, querida. E isso só poderemos fazer, se tivermos a guiarmo-nos a Divina Luz.

      Um grande e carinhoso abraço,
      Mirna C.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: