Publicado por: mirnacavalcanti | 3 de abril de 2010

Hans Christian Andersen nasceu há 205 anos


Sonhos, Imaginação, Inteligência e Sensibilidade

Andersen trazia em si um mundo de sonhos e o dividiu com a Humanidade

     Christian Andersen, se vivo estivesse, hoje faria 205 anos! E como sua obra tem sido lida por gerações – e assim continuará a ser, Hans  Christian Andersen encontra-se entre nós através de suas histórias, que encantam a todos, mesmo os adultos. Quase todos lemos, da lista que está abaixo, senão muitas, a maioria de suas histórias.
Seus contos têm sido reiteradamente traduzidos para quase todas as línguas existentes. Pudera! São expressões suaves de criatividade literária ímpar, que sensibilizam as pessoas sensíveis e sonhadoras: aquelas que acreditam na existência de fadas, príncipes, gnomos… todo o imaginário intangível, mas passível de ser encontrado por almas puras e inteligências criativas

.
Muitas vezes, quando Andersen contava suas histórias, gostava de, ao mesmo tempo ou desenhá-las ou fazer recortes em papel das mesmas. Em Copenhagen, há um museu com diversas gravuras e recortes feitos por Andersen.

É de tal importância sua contribuição para a literatura infanto-juvenil que 2 de abril foi escolhido como “Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil”. Acresça-se ainda o fato de que o mais importante prêmio deste gênero de literatura, tem o seu nome. Voltemos ao passado e lembremo-nos o quanto nos deliciávamos com as histórias que ele escreveu.

Todos o sabem autor de histórias; poucos, que também era poeta. De família humilde, com pai sapateiro, Andersen teve dificuldades para  educar-se, podendo ser considerado auto didata. Estudou com tanto afinco que, ao publicar seus Ensaios Poéticos e o conto Criança Moribunda, ofereceçam-lhe
Escreveu ainda diversas peças de teatro ( també foi um dramaturgo!), canções patrióticas, histórias  e principalmente,  os fabulosos e delicados contos de fadas, pelos quais é mundialmente conhecido.

Entre os muitíssimos contos de Andersen, destacam-se: O Abeto, O Patinho Feio, A Caixinha de Surpresas, Os Sapatinhos Vermelhos, O Pequeno Cláudio e o Grande Cláudio, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, A Roupa Nova do Rei,  A Princesa e a Ervilha…
Publicou, ainda, O Improvisador (1835), Nada como um Menestrel (1837), Livro de imagens sem imagens (1840), O Romance da Minha Vida (autobiografia em dois volumes foi  publicada em 1847  na Alemanha  ).
 
Ressalte-se todavia que de toda a sua vasta obra, a coletânea dos Contos de Fadas ou Histórias e Aventuras, publicadas entre 1835 e 1872 é seu maior legado. Nelas, há uma evidente harmonia entre o humor nórdico e a bonomia sorridente.
Nesses contos, Andersen baseia-se nos existentes contos populares e discorre de forma inteligente, sutil e ironica sobre seus contemporâneos.

Hans Christian Andersen nasceu há 205 anos, no dia  dois de abril de 1805… e passou a escrever para crianças, o que não era comum.um lugar no Instituto de Copenhague.

 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: